Saturday, August 25, 2007

Um buraco no Universo

Há muitos anos que os astrónomos sabem que há regiões do Universo completamente desertas de matéria e energia, sendo um desses locais nosso vizinho, ou seja, a apenas dois milhões de anos-luz afastado de nós. O que é novidade, é a descoberta feita por um grupo de astrónomos da Universidade do Minnesota que encontram um buraco muito maior do que alguma vez se tinha pensado, mil vezes superior, em volume, aos vazios até agora observados. O buraco tem um diâmetro de biliões de anos-luz.
Imagem da NASA

Perceber o Universo é de facto uma das grandes aspirações da humanidade, daí que, numa tentativa de valorizar esses trabalhos, a Comissão Nobel Sueca decidiu atribuir o Prémio Nobel da Física, em 2006, em partes iguais, a John Mather & George Smoot pela “descoberta da anisotropia da radiação cósmica de fundo, na zona do dos micro-ondas". Trata-se assim de mais um prémio Nobel atribuído a astrofísicos.

Radiação cósmica micro-ondas de fundo

Na astrofísica, de acordo com o Prof. Miguel Ferreira, docente do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade dos Açores e doutorado em astrofísica, “continuamos, ainda hoje a perguntar-nos: Qual a origem do Universo?
A cosmologia foi, até há pouco tempo, apenas uma área de análise filosófica, procurando responder a questões como:
–O Universo é infinito ou finito?
–Existe desde sempre ou teve um início?
–Existirá para sempre ou terá um fim?
Ainda continuam a existir questões metafísicas, como:
Se o Universo teve um início, o que existia antes?
A cosmologia é, ainda hoje, uma ciência experimental e em rápida evolução, tendo ainda muitas questões para investigar, como:
-O Universo é em grande parte constituído por algo desconhecido;
-O modelo do Big-Bang não responde a diversas questões - teorias de inflação, defeitos topológicos, variação das constantes da natureza e dimensões extra, e,

-A interacção entre cosmologia e física de partículas será fundamental para compreender a natureza da matéria e energia escura do Universo.
Os buracos no Universo, de acordo com os astrónomos responsáveis por essa descoberta, formaram-se, provavelmente quando existiam no Universo regiões extremamente densas e outras muito pouco densas em matéria, há cerca de 13 biliões de anos atrás.
Pode-se dizer que esta descoberta é incrivelmente importante por se ter encontrado um local no Universo que não tem absolutamente nada dentro.

1 comment:

karla_jhuly@hotmail.com said...

esse buraco pode nos prejudicar futuramente?